Meu Curso Bíblico


BREVE VISÃO HISTÓRICA DO POVO DO ANTIGO TESTAMENTO E DA HISTORIA GERAL:

Possivelmente ocorrido entre 1300 a.C. e 1200 a.C.   A Guerra de Tróia pode ter sido um grande conflito bélico entre gregos e troianos. Segundo o poeta-épico, Homero, a guerra foi motivada pelo rapto de Helena, rainha de Esparta, por Páris, príncipe de Troia.

Durante a guerra entre esses povos, o herói grego Odisseu, também conhecido como Ulisses, bolou um plano para os soldados gregos conseguirem entrar na cidade de Tróia: a construção de um gigantesco cavalo oco de madeira que foi abandonado a poucos metros dos portões de Tróia.
Os troianos encontraram o cavalo, que seria uma suposta oferenda a
Posêidon, o deus dos mares, e pensaram que os gregos haviam desistido de invadir a cidade e ido embora. Assim, levaram o cavalo para dentro da cidade e comemoraram a suposta vitória até altas horas. O que eles não sabiam é que os soldados gregos estavam escondidos dentro do cavalo de madeira.
Durante a madrugada, enquanto os troianos dormiam, os soldados gregos saíram de dentro do cavalo e abriram os portões para o resto do exército grego que estava do lado de fora. O plano de Odisseu foi um sucesso: os gregos conseguiram entrar em Tróia e venceram a guerra.

 

 

Por volta de 1200a.C., Israel conquistou a Palestina (Canaã, terra dos cananeus), atravessando o rio Jordão, sob o comando de Josué que sucedeu a Moisés. Israel tomou Jericó e conquistou a Palestina. Organizaram-se em doze tribos correspondentes aos doze filhos de Jacó. Época dos Juízes e das divisões em regiões como cidades-estados. No começo havia fraternidade entre eles mas, com o passar do tempo tudo foi mudando.  Houve muitas lutas contra os antigos povos dessa região, mas Israel, por vontade de Deus, ocupou Canaã. Foi o período dos Juízes, que vieram após Josué e duraram cerca de 200 anos, até cerca de 1000a.C.  Os juízes mais importantes foram:

Débora, Barac, Jefté e Sansão.

   Assim o povo hebreu aos poucos foi se organizando e formando um reino no meio dos seus vizinhos: moabitas, filisteus, jebuzeus, amorreus, etc...

 

1030 a.C. - 539 a.C.- Época dos Reis e dos grandes profetas -   O povo se  organiza e deseja ter um rei, igual aos outros povos.  O profeta da época era Samuel - foi o último dos juízes e o primeiro dos profetas. Homem de profunda piedade e discernimento espiritual dedicava-se totalmente à realização dos propósitos de Deus para o bem de Israel. Aconselhou-os, mas, mesmo assim forma-se reino que é chamado de Israel e Saul é coroado rei. Saul reinou bem, no princípio, mas gradualmente sua autoconfiança cresceu e sua confiança no Senhor diminuiu. Samuel repreendeu Saul, contrastando sua primitiva humildade com a vontade própria e o orgulho que ele, então, estava demonstrando. A consciência de Saul era impenetrável. Mais tarde Saul recitaria a palavra “Pequei”, mas somente porque ele queria que Samuel voltasse e o honrasse diante do povo, não porque estivesse arrependido de fato. Ele se tornou paranóico, suspeitando de seu genro, Davi, e tramando matá-lo. Saul era, em primeiro lugar, amigo de Davi, mas por causa do ciúme tornou-se seu inimigo. Saul procurou constantemente para matá-lo, mas Davi não tocaria um ungido de Deus.

Ele assassinou 85 sacerdotes de Deus e resolveu consultar uma feiticeira, ofendendo mais uma vez a Deus. Finalmente, ele se suicidou. 

 

 

Como Saul, Davi era humilde e justo quando foi escolhido para ser rei. Ele se tornou um governante popular e capaz, abençoado com vitórias militares e prosperidade. Davi, o filho de Jessé, foi o grande rei de Israel. Ele foi tão importante no plano de Deus que o trono de Israel é chamado de o trono de Davi. Cristo Jesus é ainda aludido como o filho de Davi, referindo-se à Sua linhagem para o trono. Infelizmente, o pecado entrou...  Davi caminhou honestamente diante do Senhor, exceto na questão de Bate-Seba, esposa de Urias.  A melhor coisa a fazer quando pecamos é admitir e nos arrepender. Davi não o fez. Em vez disso, ele tentou encobrir seu pecado e fazer com que parecesse que nada de errado tivesse acontecido. Assim, o Senhor tomou medidas mais fortes para levar Davi ao arrependimento. O profeta Natã foi a Davi e o condenou por seu pecado. Davi disse: “Pequei contra o Senhor… contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos..."  Ele implorou perdão e restauração de sua relação com o Senhor. Davi, ainda que enfrentasse terríveis conseqüências de seu pecado, foi purificado de sua culpa e não foi atormentado pelos distúrbios mentais como Saul. Ainda que mortificado pelo horror de seu pecado, ele continuou a ter amizade com Deus e a servi-lo fielmente. Davi narra a Natã o desejo de edificar o templo de Deus, ao que o profeta, inicialmente, aprova a medida. Na mesma noite Deus aparece a Natã em sonho, e o profeta volta ao rei e comunica-lhe que tal tarefa não caberá a Davi, mas a um filho seu.

 Ao final da vida de Davi, Natã, juntamente com Betseba, intercede em favor de Salomão acerca da ascensão do mesmo ao trono, pretendido por Adonias, um dos filhos de Davi.

Salomão é um personagem da Bíblia (mencionado, sobretudo, no Livro dos Reis), filho de David com Bate-Seba, que teria se tornado o terceiro rei de Israel.

 

970 - 931 a.C. - Salomão ordenou a construção do Templo de Jerusalém, no seu 4.º ano. Salomão se notabilizou pela sua grande sabedoria, prosperidade e riquezas abundantes, bem como um longo reinado sem guerras.



Escrito por Regina Helena Moreno Ribeiro às 02h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BREVE VISÃO HISTÓRICA POVO DO ANTIGO TESTAMENTO:

Por volta do ano de 1250 a.C. o rei do Egito era Ramsés II.  Ele foi um dos maiores faraós que o Egito já teve. Governou por quase 67 anos, talvez nenhum faraó tenha governado tanto.  Ficou famoso por que queria tomar posse de terra que pertencia aos Hititas, chamada Kadesh, região na Síria, pela qual passavam as rotas mercantis para o Oriente. Tudo indica que ele era alguém obcecado com a idéia de grandeza e que queria assim ser lembrado pela posteridade. Não podendo ser "grande" enquanto guerreiro decidiu sê-lo enquanto construtor.

Nessa época, as gerações seguintes que procederam dos filhos de Jacó, eram escravos do Faraó que já nem se lembrava mais da importância que José teve como ministro do Egito, livrando-os da fome devido a uma grande seca.

Moisés que nasceu num momento crítico... O povo dele, os descendentes de Abraão escolhidos para receber grandes promessas, estava sofrendo terrivelmente. Os egípcios dominavam os hebreus com tirania, e até matavam os filhos recém-nascidos para controlar o crescimento da nação escrava. A mãe de Moisés escondeu o próprio filho e, depois, deixou que ele fosse adotado por uma princesa do Egito. Moisés viu a injustiça e tentou defender seu povo. Ele matou um egípcio que espancava um dos hebreus, imaginando que o povo lhe daria apoio. Mas, o povo medroso não entendeu o que Moisés queria fazer, e ele teve que fugir do Egito. Dos 40 aos 80 anos de idade, ele ficou longe do Egito, servindo como humilde pastor de ovelhas. Neste tempo, ele casou e teve filhos. Até que um dia, quando Deus apareceu no monte Sinai, numa moita que ardia mas não se queimava. Deus mandou que Moisés descesse para o Egito para livrar o povo da escravidão.

O povo é libertado por MoisésEssa libertação do Egito é ponto central da fé judaica. É instituída a primeira Páscoa.

 O povo atravessa o mar Vermelho  e percorre o deserto durante 3 meses até chegar no monte Sinai. (Exodo por volta de 1250 a. C.)

 Subindo ao Monte Sinai, ficando o povo no sopé à sua espera, Moisés medita e ergue profundas preces por quarenta dias. Lá Deus refaz a aliança com seu povo que vigoraria até a vinda de Jesus Cristo e escreve nas tábuas da Lei, os dez mandamentos.

As pessoas fatigadas de esperar no deserto retornam às crenças egípcias populares construindo ícones de deuses animais e se propõem a voltar ao Egito.

 

 O povo viola as leis e Moisés rompe as tábuas da lei... 

 

No entretempo, Deus fala a Moisés dando-lhe as Tábuas da Lei com os Dez Mandamentos. Ao descer, Moisés enfurece-se com a idolatria e falta de fé de seu povo, arroja sobre os hereges as Tábuas da Lei, sobe novamente ao Monte e obtém novas Tábuas, desta vez escritas “pela própria mão de Deus” e decide que o povo peregrine por 40 anos  no deserto até a chegada a Canaã. Havia um caminho bem mais curto,mas, era necessário que fossem lapidados por ser um povo de cabeça dura. Deveriam purificar-se dos cultos a vários deuses para adorar somente a Ele e seguir suas leis. O povo passou de politeísta para monoteísta.

 

 Depois que Deus refaz a aliança, a "Arca da Aliança" é feita para guardar as tábuas da lei. 

Tempos depois, chegam a Canaã (a Terra Prometida por Deus a Abraão) e constroem um santuário.

Praticamente, quase todos nós, conhecemos a história de Moisés, tanto pela obra quanto pelo relacionamento com Deus.  Nas campinas de Moabe, no monte Nebo, ao topo do Pisga. Ele estava diante da Canaã. Talvez seus olhos estivessem cheios de lágrimas por contemplar o cumprimento da promessa de Deus, em levar o povo de Israel para uma terra que mana leite e mel. Uma promessa feita a Abraão, a Isaque e a Jacó. Moisés não pode sentir o calor da terra por causa da sua desobediência e fraqueza de fé temendo não conseguir fazer sair água da rocha em que o Senhor mandou-o perfurar; tema que será abrangido mais adiante... Mas, podia visualizar os seus descendentes atravessando o rio para adentrar na Canaã. Moisés morreu ali em Moabe.  O legado dele foi libertar seus irmãos do Egito, e liderá-los com sabedoria e retidão diante de Deus durante a jornada no deserto.



Escrito por Regina Helena Moreno Ribeiro às 23h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BREVE VISÃO HISTÓRICA POVO DO ANTIGO TESTAMENTO:

Começa a história onde Deus decide resgatar sua criatura: o homem e a mulher. Diante de tanto esquecimento do Senhor e culto a deuses, Ele ainda  está cheio de misericórdia. Ama e quer um povo justo de onde nasceria o Salvador de toda a humanidade.

Em 1850 a.C. (antes de Cristo), como sabe tudo sobre nós, o Senhor escolhe um homem bom e muito fiel chamado Abrãoda cidade de Ur, na região da Caldeia, hoje o Iraque.

Abrão que depois tornou-se Abraão, mudando-se de sua Terra natal  quando recebe o chamado do Senhor para deixar tudo e segui-Lo, na região de Haram)  para entrar na terra que o Senhor lhe prometeu chamada na época de Canaã, (Palestina no mapa  e hoje Israel). Ali o povo viveu muitos anos.

Para que o Verbo divino pudesse se encarnar e salvar a humanidade afastada de Deus  pelo pecado, o Senhor preparou "seu" povo durante cerca de 1800 anos. Esta é a longa e bela história que o Antigo Testamento nos conta, mostrando a ação de Deus.

 

 

No mundo exterior separado da história sagrada, na Caldeia, o rei era Hamurabi. Conseguiu, durante o seu reinado, conquistar a Suméria e Acádia, tornando-se o primeiro rei do Império babilônico. Ele mandou compilar o mais antigo código de leis escritas, conhecido como Código de Hamurabi (1800a.C.), no qual consolidou uma legislação pré-existente, transcrevendo-a numa estela de diorito em três alfabetos distintos.

 Outra civilização bem desenvolvida era o Egito.

 Entre a Caldeia e o Egito havia pequenos reinos como a Síria e Canaã (Palestina).

Abraão, conduzido por Deus, dá início ao povo de Israel (no tempo de  Jesus chamado de Palestina). De Abraão com Sara nasceu Isaac;  de Isaac com Rebeca nasceu Jacó.

De Jacó e Raquel nasceram doze fihos que se tornaram depois as doze tribos de Israel:

(Rubem, Simeão, Levi, Judá, Issacar, Zabulon, José, Benjamin, Dã, Neftali,  Gad e Aser).

É importante notar que o número 12 para os judeus se tornou importante, símbolo da plenitude.  

No tempo de Jacó na Palestina, uma grande fome assolou o povo judeu que precisou ir para o Egito, por volta do ano 1.600 a.C. 

Deus aproveitando-se do pecado dos filhos de Jacó, os quais tinham vendido o irmão caçula José por inveja, a mercadores que o levaram e o venderam como escravo ao rei do Egito. Mas, José, pela graça de Deus, interpreta os sonhos do Faraó e inverte a situação de escravo para primeiro ministro do Egito, chegando a perdoar e alimentar os mesmos irmãos que encontravam-se em situação desesperadora por causa da seca. Assim, Jacó pode vir para a região do delta no rio Nilo, a mais próspera do Egito.  José morre e muito tempo depois,é esquecido de ter sido um importante ministro, pelas gerações egípicias seguintes. Já se passaram 400 anos. Com isso, o povo de Deus chamdo de Hebreus, cresce cada vez mais e de protegido torna-se escravo do Faraó.

 

(Continuaremos na próxima postagem por volta de 1250 a.C.)



Escrito por Regina Helena Moreno Ribeiro às 23h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, GUARATINGUETA, Mulher, de 46 a 55 anos, Portuguese, Livros, Informática e Internet
Histórico
    Outros sites
      Vaticano
      Presbíteros
      Agência Católica de Informações
      Conferência Nacional dos Bispos do Brasil
      Site do Prof. Felipe Aquino
    Votação
      Dê uma nota para meu blog